Divulgação
Divulgação

Morte de personagem transformará 'O Quarteto Fantástico' em trio

As mortes dos super-heróis, na maioria das ocasiões, se devem a causas estritamente monetárias

Julio Soria, EFE

12 de janeiro de 2011 | 12h28

A editora Marvel resolveu acabar para sempre com a união dos integrantes de O Quarteto Fantástico, que a partir do próximo dia 26, passará a ser um trio, após a morte de um de seus membros. A identidade do super-herói que morrerá no episódio 587 da saga ainda não foi revelada, mas tudo indica que a surpresa provocará um terremoto de inusitadas consequências no Universo Marvel.

Criado em 1961 pelo famoso roteirista Stan Lee e o desenhista Jack Kirby, O Quarteto Fantástico superou várias mortes ao longo de sua longa trajetória, como foram os casos da Mulher Invisível - Sue Storm - e do Senhor Fantástico - Reed Richards -, que ressuscitaram em edições posteriores.

As mortes dos super-heróis, na maioria das ocasiões, se deveram a causas estritamente monetárias. A Marvel arrecada enormes quantias toda vez que iguala seus super-heróis aos simples mortais.

Entre as mortes mais famosas da história em quadrinhos esteve a do Super-Homem, cujas revistas esgotaram em 1992 depois que ele morreu em uma briga com Apocalipse. Apesar de receber uma ostentosa homenagem, incluindo um funeral, o super-herói não demorou a retornar aos quadrinhos.

Outra morte de destaque foi a do Capitão América em 2007, causada por um franco-atirador controlado pelo vilão Caveira Vermelha. O super-herói morreu às portas de um tribunal, onde tinha prestado depoimento após violar uma lei antiterrorismo, mas retornou à história pouco depois.

Em 2010, 17 anos após sua última aventura, o Capitão Trovão, já cinquentão e aposentado, voltou à ação em uma edição especial para proteger um tesouro e, depois, morrer.

De qualquer forma, o cenário se apresenta bastante obscuro para O Quarteto Fantástico, já que fontes da editora falaram no final irremediável do grupo e no nascimento de uma nova série.

Na edição de dezembro, os integrantes do grupo se encontravam imersos em situações de máximo risco, de modo que qualquer um deles poderia ser o escolhido para morrer.

Muitas apostas assinalam a Tocha Humana - Johnny Storm -, que nunca morreu, e O Coisa - Ben Grimm -, que já deixou o grupo durante um tempo para protagonizar uma aventura sozinho.

Para manter o suspense até o último momento, o próximo número da série chegará ao mercado envolvido em um plástico preto, uma forma de garantir que ninguém conseguirá desvelar o mistério antes da hora.

Enquanto isso, as apostas já estão dominando a internet. De acordo com os que apostaram pelo site BetUs.com, a vítima mais provável é a Mulher Invisível, seguida por Tocha Humana, Senhor Fantástico e O Coisa. A sorte está lançada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.