Morte de Pavarotti provoca comoção na Itália

'Embaixador da cultura italiana no mundo', tenor tinha 'alma punk', disse Bono

Assimina Vlahou, BBC

06 de setembro de 2007 | 09h25

Os italianos receberam com comoção a notícia da morte do tenor Luciano Pavarotti na madrugada desta quinta-feira, 6. Canais de televisão e rádios da Itália estão dedicando programas especiais a Pavarotti e transmitindo as suas interpretações mais famosas.   Veja também: Morre Luciano Pavarotti, um dos mais importantes tenores da história Pavarotti, cantor de voz belíssima, com dicção impecável Sempre admirei a voz divina de Pavarotti, diz Plácido Domingo Pavarotti esteve sete vezes no Brasil Os grandes papéis do tenor Luciano Pavarotti Histórias pouco conhecidas do fenômeno Pavarotti Luciano Pavarotti, o tenor inconfundível Pavarotti - Nessun Dorma  Os Três Tenores - Nessun Dorma  James Brown & Pavarotti  Luciano Pavarotti - Ave Maria - Schubert  Queen + Luciano Pavarotti - Too Much Love Will Kill You  A última exibição de Pavarotti - Torino 2006 per le Olimpiadi Ele é considerado um grande divulgador da imagem da Itália no mundo. "Pavarotti é o último representante do canto italiano, último dos tenores que levaram ao mundo a verdadeira cor da voz italiana", comentou Bruno Cagli, musicólogo e superintendente da prestigiosa Academia de Santa Cecília. Na opinião de Cagli, Pavarotti não tem herdeiros. "Devido à decadência do repertório operístico e à mudança do panorama cultural e social, acredito que não haja herdeiros de seu nível capazes de comunicar, daquela forma, o dom do céu que é a voz italiana." O presidente da Câmara dos Deputados da Itália, Fausto Bertinotti, disse que se emocionou ao saber da morte do tenor. "Recebi com grande comoção a notícia da morte do mestre Luciano Pavarotti, altíssimo intérprete da longa tradição do canto melodramático italiano e dono de uma capacidade comunicativa fora do comum", disse Bertinotti, em uma mensagem enviada à familia do tenor. Vasco Errani, governador da região da Emilia Romagna - onde fica Modena, cidade natal do cantor - disse: "Para nós, Pavarotti será sempre um dos grandes símbolos da Itália no mundo". Diante dos pedidos de informação vindos de todo o país, a prefeitura de Modena teve que abrir uma linha telefônica especial para informar a data e local do enterro do cantor. Pavarotti será enterrado no sábado pela manhã na catedral da cidade. Desde cedo, nesta quinta feira, fãs e amigos do tenor estão se reunindo na frente da casa de Pavarotti para prestar homenagem. O crítico musical Mario Luzzato Fegiz disse que o cantor tornou-se popular porque soube misturar canto lírico com música moderna. "Luciano teve habilidade para unir o canto lírico ao pop e ao rock", recordou o crítico, fazendo referência aos shows de Pavarotti com estrelas da música pop como Bono, do grupo irlandês U2, Sting e ídolos da música italiana, em eventos beneficentes. "Pavarotti é muito mais rock do que muitos cantores de rock e provavelmente tinha uma alma punk", comentou Bono. Na opinião do cineasta Franco Zefirelli, Pavarotti era incomparável. "Havia os tenores e depois tinha Pavarotti. Ele adorava a música e seu maior mérito é que a abraçou como um todo, como demonstrou Pavarotti & Friends, onde se apresentava em diversos gêneros musicais, sem limites nem fronteiras", disse Zefirelli. Bruno Cagli recordou as polêmicas provocadas pelo concerto dos três tenores - Pavarotti, Placido Domingo e José Carreras - que contribuiu para popularizar a ópera. "Aqueles shows provocaram críticas porque representavam a contaminação de diversos gêneros de música." Na opinião do musicólogo, este problema está na ordem do dia agora, com a morte de Pavarotti. "A ópera não poderá mais ter a popularidade que teve um dia, é preciso encontrar novos caminhos", comentou. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse que Pavarotti era "a melhor encarnação do grande tenor popular depois de Caruso" - em referência ao napolitano Enrico Caruso, morto em 1921 e considerado o maior tenor de todos os tempos.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
Pavarottióperatenor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.