Robyn Beck/AFP
Robyn Beck/AFP

Morre Sumner Redstone, magnata dono da Paramount, aos 97 anos

A ViacomCBS e o grupo National Amusements anunciaram que Redstone, cuja saúde estava se deteriorando há vários anos, morreu na noite de terça-feira

AFP, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2020 | 12h52

O magnata americano Sumner Redstone, que construiu um império de mídia que inclui a ViacomCBS, morreu na terça-feira aos 97 anos, anunciaram suas empresas nesta quarta-feira (12).

A ViacomCBS e o grupo National Amusements anunciaram que Redstone, cuja saúde estava se deteriorando há vários anos, morreu na noite de terça-feira.

Redstone construiu sua empresa a partir de uma modesta rede de cinemas drive-in e manteve a liderança no conglomerado e na indústria até se aproximar dos 90 anos.

Na década de 1980, Redstone planejou uma compra hostil da Viacom, um braço da rede CBS que havia se tornado um importante agente na televisão a cabo.

Em seguida comprou a Paramount Pictures, um dos principais estúdios de Hollywood; Blockbuster Entertainment e, mais tarde, liderou uma fusão com a CBS.

Em 2006, a Viacom desmembrou a CBS, separando as operações cinematográficas de crescimento mais rápido das outras, mas Redstone manteve o controle de ambas através de sua holding.

As duas empresas se reunificaram no ano passado e viraram a ViacomCBS.

Nos últimos anos, Redstone se envolveu em conflitos sobre sua capacidade mental para dirigir as empresas, em uma história que às vezes parecia uma novela.

Sua filha Shari Redstone controlava efetivamente o império com seu pai em reclusão, mas outros membros da família alegam que ele era manipulado.

Sua neta Keryn Redstone aliou-se a Manuela Herzer, ex-namorada do magnata, que travava uma batalha para que ele fosse declarado incompetente.

Em 2016, durante a luta por poder dentro da família e as questões sobre sua capacidade mental, Redstone renunciou como presidente executivo do grupo e se tornou presidente emérito da CBS e da Viacom

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.