Alejandro Ernesto/ EFE
Alejandro Ernesto/ EFE

Morre poeta chileno Gonzalo Rojas

Escritor tinha 93 anos e era considerado um dos mais importantes do gênero em seu país

EFE,

25 Abril 2011 | 10h29

CHILE - O poeta chileno Gonzalo Rojas, ganhador do prêmio Cervantes de Literatura em 2003, morreu na manhã desta segunda-feira, 25, aos 93 anos, em um centro assistencial não identificado, em Santiago, após permanecer em estado grave de saúde durante mais de dois meses devido a um acidente vascular cerebral, sofrido no final de fevereiro, informou sua família rádio chilena Cooperativa.

 

No dia 12 de março, o autor de Qué se ama cuando se ama, La miseria del hombre e Cobtra la muerte, foi transferido de sua casa em Chillán, a 400 quilômetros ao sul da capital chilena, para melhor cuidado médico e maior proximidade com sua família.

 

Um dos filhos do poeta, Gonzalo Rojas-May, disse hoje que a família recebeu a notícia com tranquilidade e destacou que seu pai teve "uma vida grandiosa". O primogênito de Gonzalo Rojas contou ainda que o poeta teve uma vida muito intensa e que continuou ativo e com muitos projetos mesmo depois de sofrer de uma forte pneumonia no final do ano passado. "Foi realmente um privilégio para nós, que pudemos aprender a ver e a ler o mundo com ele", declarou.

 

Gonzalo Rojas nasceu em 17 de dezembro de 1917, em Lebu, a 600 km ao sul de Santiago. O poeta era considerado, ao lado de Nicanor Parra, o poeta mais importante do Chile das últimas décadas. O Ministro da Educação chileno Joaquín Lavín lamentou a morte do escritor: "É uma grande perda para a literatura chilena".

Mais conteúdo sobre:
Gonzalo Rojas poesia literatura Chile

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.