Morre o pintor colombiano Enrique Grau

Um dos principais artistas colombianos, Enrique Grau morreu hoje aos 83 anos de problemas pulmonares, em bogotá, segundo informou sua família. O pintor e escultor, considerado um dos grandes artistas do século 20, deixou uma vasta obra que passa pelo abstracionismo, pelo expressionismo, mas que se fixou no naturalismo, com a figura humana. Suas telas misturam o erótico com elementos poéticos e irônicos. Em suas telas e esculturas há uma mistura das raças branca, negra e indígena. A sensualidade e leveza das pinturas e desenhos de suas mulheres voluptuosas podem ser encontradas tanto em galerias elegantes e museus colombianos, como em casas, bares e lojas simples, o que o caracaterizava como "o artista mais popular da Colômbia".Seu corpo será velado no Capitólio Nacional, sede do Congresso colombiano, permanecerá exposto na câmara-ardente no Teatro Herédia, que ajudou a reconstruir e enterrado no cemitário do bairro de Manga, como queria.Apesar de ter nascido no Panamá, em 1920, Grau criou raízes profundas em Cartagena, na Colômbia, que considerava sua terra natal. Era considerado um artista autodidata, apesar de ter estudado na Art Students League de Nova York, entre 1940 e 1943, e na Academia de San Marco de Florencia (Itália), entre 1955 e 1956. Grau foi professor de belas artes da Universidade nacional e na dos Andes, e foi ainda cenógrafo de teatro e televisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.