Morre o homem de teatro Svoboda

O célebre diretor teatral e cenógrafo checo Josef Svoboda morreu segunda-feira aos 81 anos em Praga, informou um porta-voz do teatro de arena Sferisterio, na cidade de Macerata, para o qual Svoboda montou uma série de espetáculos que entraram para a história. Fundador em 1958 do grupo teatral de PragaLanterna Mágica, onde se misturavam as origens do cinema e o teatro, junto com Alfred Radok (1914-1976), Svoboda foi um dos maiores talentos do mundo do espetáculo numa Checoslovaquia recém-saída do desastre da Segunda Guerra Mundial, convertida a mero satélite político da União Soviética. Svoboda, nascido en Caslav (na região central da Boêmia) em 10 de maio de1920, foi autor de mais de 700 cenários para peças teatrais em seu país e no exterior. Entre os diretores que o chamaram para colaborar estão grandes nomes da cena mundial, como Laurence Olivier, Giorgio Strehler e Milos Forman. Chefe da equipe técnico-artística do Teatro Nacional dePraga desde 1951, o criador do grupo "Lanterna Mágica", em cujas peças os atores em cena se moviam entre projeções cinematográficas, de silhuetas e de sombras, Svoboda transformou, depois de 1973, sua criação numa companhia estável, que se converteu num dos símbolos da vida cultural checa. Em Macerata ficou famosa sua montagem da Traviata de Giuseppe Verdi, todafeita de espelhos, que estreou em 1992 e excursionou desde então pelos principais teatros do mundo. Também se destacam suas versões de A Sonâmbula (1992), de VincenzoBellini, Lucia di Lammermoor (1993), de Gaetano Donizetti,Attila (1996) e Rigoletto" (1993), de Verdi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.