Morre o historiador Christopher Hill

O historiador Christopher Hill considerado como um dos maiores especialistas sobre o século 17, morreu na segunda-feira, na Inglaterra, aos 91 anos, por causas não divulgadas. "Nenhum historiador no nosso tempo foi um sinônimo tão perfeito do período estudado por ele. Hill é a razão pela qual a maioria de nós sabe alguma coisa sobre o século 17", escreveu o jornal The Guardian, ao anunciar sua morte, divulgada pelo Balliol College, instituição ligada à universidade de Oxford, do qual Hill foi professor entre 1965 e 1978. Ele seguia a linha de pensamento marxista. Mudou radicalmente a noção sobre a guerra civil inglesa de 1640 ao publicar seu livro mais importante, The English Revolution ? 1640, em que analisou com grande profundidade o episódio em que pressões revolucionárias partindo de vários grupos populares desafiaram a monarquia com o auxílio do parlamento. Com este livro, publicado em 1940, ele derrubou a visão até então muito enraizada de que a aqueles eventos teriam sido apenas uma aberração na evolução natural da história inglesa. Entre outros grande livros, o marxista Christopher Hill publicou O Mundo de Ponta-Cabeça, de 1972, e O Eleito de Deus, de 1970, uma biografia de Oliver Cromwell. Ambos têm edição brasileira. Em quase todos os seus livros, Hill procurava recuperar uma tradição radical inglesa falando de vários grupos sociais do século 17 que desafiavam a coroa de então. A participação política na esquerda marcou a vida de Christopher Hill. Ele leu Karl Marx pela primeira vez na faculdade, na época em que o mundo sofria as conseqüências da depressão econômica no início dos anos 30 e enquanto Adolf Hitler costurava sua subida ao poder na Alemanha. Filiou-se ao Partido Comunista Inglês quando se formou e se mudou para a União Soviética em 1935, mas retornou em seguida. Na 2ª Guerra Mundial, colaborou com o exército britânico na área de inteligência. Em 1946, ao lado nomes como Eric Hobsbawn, James Jeffreys, Maurice Dobb e Edmund Dell, ele fundou o Grupo de Historiadores do Partido Comunista Inglês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.