Morre o escritor Roberto Drummond

O escritor Roberto Drummond, de 68 anos de idade, morreu esta madrugada de enfarte. Ele estava em casa, foi levado para o hospital mas não resistiu. Drummond nasceu na cidade de Ferros, em Minas Gerais, em 21 de dezembro de 1933. Ele começou a trabalhar na década de 50 cobrindo o movimento estudantil. Nos anos 60, participou ativamente de movimentos contra a ditadura militar em Belo Horizonte. Sua carreira de escritor teve seu grande impulso em 1975, quando venceu o prêmio Jabuti com o livroA Morte de D.J. em Paris. Drummond foi jornalista esportivo durante grande parte da vida e escreveu o livro que deu origem à minissérie Hilda Furacão, exibida pela Rede Globo em 1998. Além deste, Drummond também escreveu A Morte de DJ em Paris, O Dia em que Ernest Hemingway Morreu Crucificado, Sangue de Coca-Cola, Quando Fui Morto em Cuba, Hitler Manda Lembranças, Inês É Morta, Ontem à Noite Era Sexta-Feira, Os Mortos Não Dançam Valsa e Cheiro de Deus. Roberto Drummond também era apaixonado pelo futebol, tendo colaborado como cronista esportivo para jornais e outros veículos. Ele era torcedor do Atlético Mineiro, clube para o qual cunhou a frase: "Se houver uma camiseta preta e branca pendurada num varal durante uma tempestade, o atleticano torce contra o vento."Segundo o jornal Estado de Minas, em que Drummond era cronista, seu último texto foi escrito na tarde de ontem, e era sobre o jogo disputado entre Brasil e Inglaterra nesta madrugada, pelas quartas de final da Copa do Mundo. O título da crônica é Seja o que Deus Quiser. O jornal mineiro informa também que a filha do escritor, Ana Beatriz, disse que seu pai já vinha apresentando sintomas de enfarte, mas que teria evitado pedir ajuda médica para não ser proibido de assistir aos jogos de madrugada.O escritor, que também vinha se queixando de uma fortegripe, teria sofrido dois enfartes entre quarta e quinta-feira,conforme constataram exames feitos no hospital. Mas apenas apósa terceira ocorrência ele foi encaminhado ao Biocor, onde tevemorte cerebral por volta de 0h30 de hoje. O enterro, que devereunir intelectuais de todo o País, será realizado às 17 horasno Cemitério do Bonfim, próximo do centro da capital mineira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.