Morre o escritor norte-americano Larry Brown

Larry Brown, que freqüentemente escrevia sobre a áspera e arenosa vida rural sulista norte-americana, morreu nesta quarta-feira em sua casa, segundo informou seu editor. Ele tinha 53 anos.Browm morreu aparentemente de um ataque cardíaco. "Eu fiquei paralisado, como muitas pessoas quando perdem alguém que admiram", disse seu colega escritor que vive em Oxford Barry Hannah.Entre os romances de Brown estão Big Bad Love (1990), em que trata do mal-estar no casamento, Joe (1991), sobre o alcoolismo.Brown ganhou por duas vezes o prêmio literário mais importante de sua região, o Southern Book Critics Circle Award. Ele começou a escrever ficção enquanto trabalhava como bombeiro no Corpo de Bombeiros de Oxford, um trabalho que exerceu de 1973 a 1990, quando passou a se dedicar à escrita em tempo integral.Seu primeiro texto apareceu publicado em revistas e jornais reunidos em 1988, sob o título Facing the Music como uma coletânia de contos. Seu último romance, Dirty Work, foi publicado no ano passado, inspirado nas experiências de seu pai na 2.ª Guerra Mundial.Entre seus livros de ficção está Pai e Filho, de 1996, o único que foi publicado no Brasil, pela editora Record, em 2001. Ele escreveu vários livros de não-ficção, como On Fire (1993), sobre seu trabalho como bombeiro, e Billy Ray´s Farm (2001), uma coleção de ensaios sobre sua vida e trabalho como escritor.Big Bad Love foi adaptado para o cinema em 2001, estrelado por Debra Wingere Arliss Howard, que também o dirigiu.

Agencia Estado,

24 de novembro de 2004 | 18h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.