Morre o escritor italiano Franco Lucentini

Morreu hoje o escritor italiano Franco Lucentini, aos 81 anos, após cair da escada de seu prédio, que fica no centro histórico de Turim. A polícia suspeita que Lucentini tenha se suicidado. Ele sofria de câncer de pulmão em fase terminal. O corpo de Lucentini foi descoberto por sua empregada doméstica, que foi chamada às pressas pela companheira do escritor, a francesa Simone Benne Darses.A herança de Lucentini para a literatura italiana não se resume a seus muitos livros de mistério e ficção científica, boa parte deles em parceria com Carlo Fruttero. Lucentini também foi o introdutor de Jorge Luis Borges na Itália, tendo traduzido livros do argentino para a casa editorial Einaudi.A parceria dos dois escritores rendeu vários títulos de sucesso. A Che Punto e La Notte e Il Palio Delle Contrade Morte são alguns deles. Em 1992 a dupla iniciou uma audaciosa empreitada literária, terminando o romance O Mistério de Edwin Drood, que Charles Dickens morreu sem concluir. O livro de Lucentini e Fruttero saiu com o título A Verdade sobre o Caso D, e foi editado no Brasil pela Companhia das Letras.A Verdade Sobre o caso D levou Lucentini e Fruttero a ocupar um lugar na lista os mais vendidos tanto na Europa quanto nos estados Unidos. O reconhecimento de seu trabalho literário veio com o prêmio Campiello, conferido a Lucentini no ano 2000.Lucentini lutou contra o fascismo durante a Segunda Guerra Mundial, e chegou a ser preso pela polícia política italiana. Sua morte tem muita semelhança com a do escritor Primo Levi, que se atirou da escada da casa onde morava, também em Turim, em 1987.

Agencia Estado,

05 de agosto de 2002 | 15h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.