Morre o escritor e jornalista francês François Nourissier

Autor de clássicos, Nourissier faleceu aos 83 anos em Paris

EFE

16 de fevereiro de 2011 | 12h25

O escritor e jornalista francês François Nourissier, autor consagrado desde que recebeu o prêmio de romance da Academia Francesa em 1965, morreu em Paris aos 83 anos após ficar afastado nos últimos tempos da cena pública pelo mal de Parkinson.

 

A Academia Goncourt, da qual fez parte durante um quarto de século e inclusive presidiu entre 1996 e 2002, quando afastou-se devido à doença, informou nesta quarta-feira o falecimento - ocorrido na véspera - de Nourissier, um dos grandes nomes das letras francesas.

 

Nascido em 1927 na capital francesa, escreveu seu primeiro romance (L'Eau Grise - A Água Cinza, em livre tradução) - aos 24 anos e o último (Eau-de-feu, Água de Fogo, em livre tradução) aos 80.

 

Entre os dois, trabalhou durante quase quatro décadas como conselheiro literário para a editora Grasset e como jornalista colaborou para muitas publicações como Le Figaro, Le Point, Paris Match, Elle e Vogue, em particular como crítico. Ele também foi redator chefe da revista La Parisienne.

 

Paralelamente, se tornou escritor reconhecido em particular com o prêmio de romance da Academia Francesa por Une Histoire française (Uma Hisória Francesa). Cinco anos mais tarde, em 1970, sua consagração foi confirmada com o prêmio Femina por La Crève.

 

Eleito membro da Academia Goncourt em 1977, cinco anos mais tarde passou a ser seu secretário-geral e depois presidente em 1996.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.