Morre o dançarino de flamenco José Greco

Morreu na noite de domingo o veterano dançarino espanhol José Greco, aos 82 anos. Ele esteve internado por cinco semanas num hospital na Pensilvania por complicações cardíacas. Bailarino e coreógrafo magistral, Greco nasceu em 1918, em Montorio nei Frentani, na Itália, e viveu na Espanha antes de mudar-se para os Estados Unidos, em 1928. Lá desenvolveu a dança flamenca, e passou a fazer vários espetáculos. Foi par da bailarina argentina Encarnación López, e logo se converteu no dançarino mais conhecido na Amérca do Norte, nos meados do século 20. Passou a dirigir a sua própria companhia de danças espanholas a partir de 1951, com a qual fez diversas turnês pela Europa e América. Realizou muitos espetáculos na Broadway, e participou de algumas produções de Hollywood, como Sombrero e A Volta ao Mundo em 80 Dias.Em 1971 criou nos Estado Unidos a Fundação de Dança Hispana e em 1977 publicou sua autobiografía Gypsy in My Soul (cigano na minha alma em inglês). Dançou até os 77 anos, quando passou a ser professor de dança no College Franklin and Marshall, em Lancaster - que lhe fará amanhã a tarde uma homenagem. Greco deixa a mulher, Ana Borger-Greco, e dois filhos, José Greco II e Lola Greco, que também dançam e mantém os institutos fundados pelo pai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.