Morre o criador de "The Flash"

Harry Lampert, de 88 anos, criador do homem mais veloz do mundo, o Flash, morreu no último sábado de câncer. Ele vivia em Boca Ratón, na Flórida. Com asas nas orelhas, como as do personagem mitológico Hermes, um raiozinho no peito, o personagem dos quadrinhos The Flash podia, com sua ultravelocidade, viajar no tempo e atravessar paredes sólidas. O desenhista Lampert criou The Flash em 1934, com textos de Gardner Fox. Em 1940, saiu a revista Flash Comics n.º 1, da DC Comics, um clássico entre colecionadores de gibis. Mas foi no traço de Carmine Infantino que The Flash ficou famoso, duas décadas depois. The Flash sempre foi um personagem secundário dos comics. Mas tem uma legião de fãs em todo o mundo. Lampert o criou como o alter ego do cientista Jay Garrick, que se tornou superveloz depois de ser exposto inadvertidamente a um vapor estranho, num acidente de laboratório. Mais tarde, mudou-se o nome desse alter ego para Barry Allen, que é como conhecemos hoje sua identidade secreta. Em 1990, The Flash tornou-se série de TV, dirigida por Robert Iscove, com John Wesley Shipp como o herói que se move mais rápido do que a luz. O desenhista Lampert também virou chargista, desenhando para Time, Esquire, New York Times. Publicitário, ganhou um Leão de Ouro em Cannes. Deixou mulher, filha e dois netos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.