Morre o cartunista Will Eisner, criador de "Spirit"

O cartunista Will Eisner, criador dos quadrinhos The Spirit, morreu na noite de ontem aos 87 anos por complicações após uma cirurgia para colocar um marcapasso, realizada em 22 de dezembro, disse hoje seu assessor pessoal, Denis Kitchen. Eisner morrei no Centro Médico da Flórida, em Lauderdale Lakes. "Ele foi o maior inovador que a indústria já viu", disse Kitchen, que assessorava Eisner há mais de trinta anos. Eisner ainda trabalhava ativamente. Seu último romance gráfico, The Plot, será lançado ainda este ano. Nascido em 6 de março de 1917, em Nova York, filho de imigrantes judeus, Eisner usou sua vivência pessoal como inspiração para muitos de seus trabalhos. O primeiro quadrinho de Eisner apareceu em 1936 na revista WOW What a Magazine!. Ele criou dois personagens para a publicação, Harry Karry e The Flame. Quando a revista foi fechada, ele formou uma parceria com um amigo, Jerry Iger, e os dois montaram um estúdio, que produzia quadrinhos e tirinhas variados. O trabalho mais duradouro de Eisner no período foi Hawks of the Seas, a aventura que havia começado como The Flame.A parceria acabou em 1939, quando Eisner entrou no Quality Comics Group, para produzir um suplemento de jornal, no qual criou seu mais famoso personagem, The Spirit. Criar a seção de quadrinhos para o Quality deu a Eisner a oportunidade de alcançar um grande público em todo o território dos EUA. O suplemento continha três páginas coloridas com personagens criados por Eisner, o principal deles, era The Spirit , a história de um detetive mascarado que protege Central City apenas com sua força, sem super poderes ou suporte tecnológico, como o Superman e o Batman. O trabalho de Eisner com Spirit foi interrompido em 1942, quando ele foi para o exército servir na Segunda Guerra Mundial. Eisner produziu pôsteres, ilustrações e tiras para informar e divertir as tropas. Em 1945, após o fim da guerra, Eisner retomou seu trabalho.O primero romance gráfico de Eisner, A Contract with God, foi lançado em 1978, e combinava elementos de histórias em quadrinhos e romances de literatura.O corpo de Will Eisner será enterrado ao lado do de sua filha, Alice, que morreu em 1969. Ele deixa a mulher, Ann, e um filho, John. Ele tem vária sobras publicadas no Brasil, como O Nome do Jogo, Avenida Dropsie, Sundiata, Quadrinhos e Arte Seqüencial: Compreensão e Pratica, O Último Cavaleiro Andante e o próprio Spirit.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.