Morre nos EUA a fotógrafa francesa Catherine Leroy

A fotógrafa francesa Catherine Leroy, quecobriu as guerras do Vietnã e do Líbano, faleceu na última sexta-feira, em LosAngeles, nos Estados Unidos, segundo informaram amigos. Leroy morreu aos 61 anos, em conseqüência de um câncer, disseramseus amigos em Arles, sul da França, onde está sendo realizado oevento Encontros Fotográficos.Catherine ganhou diversos prêmios, entre eles o prestigiosoRobert Capa, por sua cobertura da guerra civil no Líbano em 1976.Foi a primeira mulher a receber este prêmio. A francesa começou sua carreira muito jovem, vendendo fotos àsagências AP e UPI. Aos 21 anos, em 1966, foi à Guerra do Vietnã. Em 30 de abril de 1967, Leroy foi responsável por uma das fotos maisemblemáticas da guerra: em meio a uma paisagem destroçada, ojovem militar norte-americano Vernon Wike aparece ao lado do cadáver deseu amigo que acabara de morrer. Carherine voltou a fotografar Wike quarenta anos depois. O soldadoestava no fundo de um pequeno quarto de uma cidadezinha do Arizona,destruído pelas lembranças e pela doença. Figura lendária do mundo da fotografia de guerra, Catherine foi umadas poucas mulheres a estar presente nos momentos mais delicados doconflito do Vietnã. Posteriormente, trabalhou no Líbano, onde foi seqüestrada e tratada com brutalidade, algo que a marcaria para sempre. Mais tarde, ela se radicou nos Estados Unidos, onde trabalhou na área de moda e fez reportagens para revistas. Também escreveu um livro sobre os grandes fotógrafos do Vietnã, publicado pela Random House. Junto com o jornalista britânico Tony Clifton, Catherine escreveu o livro God Cried sobre a cidade de Beirute, em 1982.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.