Morre no Rio o dramaturgo Pedro Bloch

O médico e dramaturgo Pedro Bloch, de 89 anos, morreu neste sábado de insuficiência pulmonar aguda provocada por uma pneumonia. Bloch estava em seu apartamento, no bairro de Copacabana. Considerado o pioneiro da fonoaudiologia no país, ele é autor de peças como ?Mãos de Eurídice?, exibida em diversos de países, ?Dona Xepa? ? sucesso popular no Brasil e no exterior ?, e de uma extensa lista de livros infantis. Nascido no vilarejo de Jitomir, na Ucrânia, em 1914, Bloch publicou também a série ?Criança diz cada uma?, escrita em colunas na revista ?Pais & Filhos?, com pequenas e divertidas histórias extraídas de seu cotidiano com as crianças. Deixou viúva Míriam, com quem era casado havia 56 anos. O dramaturgo será enterrado hoje no Cemitério Israelita Comunal do Caju.

Agencia Estado,

23 de fevereiro de 2004 | 22h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.