Morre na Itália o editor Sergio Bonelli

Na 3ª, o francês Albert Uderzo anunciou sua aposentadoria

JOTABÊ MEDEIROS, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2011 | 03h09

Uma semana dura para os quadrinhos. O coautor de Asterix e Obelix, o francês Albert Uderzo, de 84 anos, anunciou na terça-feira a sua aposentadoria. E morreu na segunda-feira, na Itália, o editor e argumentista de quadrinhos milanês Sergio Bonelli, aos 78 anos, após uma semana hospitalizado. A causa não foi informada. O funeral será amanhã, dia 29, às 10h30, na capela do Cimitero Monumentale di Milano.

O gentleman Bonelli, que era grande amigo de brasileiros como Mauricio de Sousa e Sidney Gusman, herdou de seu pai, o quadrinista Gianluigi Bonelli, um dos mitos dos quadrinhos, que edita desde os anos 1970: o caubói durão e calado Tex, o mais ilustre equivalente dos western spaghetti nos quadrinhos. Sua editora soltou uma nota em que o define como "o principal artífice da passagem dos quadrinhos de simples entretenimento popular a produto de dignidade cultural".

Bonelli, que desde criança frequentava a editora dirigida por sua mãe, Tea Bonelli, a Redazione Audace, também era desenhista e, para se diferenciar da forte herança do pai, criou um codinome em seus primeiros quadrinhos. Assinava Guido Nolitta. Ele foi o responsável pela criação de personagens dos quadrinhos conhecidos no mundo todo, como Zagor e Mister No, e fundou um império editorial que vende, somente na Itália, mais de 20 milhões de exemplares de revistas como Tex, Zagor, Mágico Vento, Júlia Kendall, Dylan Dog, Martin Mystère e Nick Raider.

Segundo dizia Bonelli, Tex - que era implacável com seu colt - nunca poderia modernizar-se ao ponto de se tornar politicamente correto. "O politicamente correto exigido por alguns acabaria por incomodar a todos. É difícil contentar todos. Por isso, eu busco uma via intermediária", contou.

Seu maior sucesso, como autor, foi Dylan Dog, que virou filme de longa-metragem. Criado em 1986, foi publicado ininterruptamente desde então. Trata-se de um detetive com a fisionomia decalcada do ator britânico Rupert Everett, que enfrenta tramas misteriosas ao lado de seu companheiro Groucho (homenagem ao cômico americano).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.