Morre Michael Crichton, autor de 'Jurassic Park'

Ele possuía um toque próprio do Midas, pois, a cada lançamento, criava um novo best-seller. Foi assim que o americano Michael Crichton, autor de Jurassic Park (Parque dos Dinossauros), Assédio Sexual, O Enigma de Andrômeda e Twister, que repetiram o sucesso quando levados para o cinema, vendeu mais de 150 milhões de exemplares ao redor do mundo. E foi com uma surpresa planetária que se reagiu ontem à notícia de sua morte, acontecida na terça-feira, em Los Angeles, aos 66 anos. Segundo a família, Crichton não resistiu a um câncer, não especificado.Médico e cineasta além de escritor, Crichton exibia uma rara habilidade para tratar de assuntos científicos com clareza, atingindo o público médio. Entre seus temas, uma mensagem persistia: o risco potencial de se jogar com a ciência e seus possíveis efeitos catastróficos. Nessa linha, escreveu 25 livros de ficção. Criou ainda séries de sucesso para a televisão, como E.R. (Plantão Médico), famosa por divulgar sua polêmica opinião contrária ao malefício do efeito estufa. Ele, no entanto, participou apenas da primeira temporada, pois brigou com os produtores. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.