Morre Jean-Louis Dumas, ex-presidente da grife Hermès

Em 28 anos de comando, a Hermès se tornou uma das grifes de luxo de maior prestígio no mundo

03 de maio de 2010 | 15h53

PARIS - Morreu no domingo, 2, aos 72 anos Jean-Louis Dumas, ex-presidente da grife Hermès e responsável por sua renovação, em decorrência do mal de Parkinson, doença que o afastou da mítica companhia francesa em 2006.

 

Nos 28 anos sob o comando de Dumas, a Hermès se tornou uma das grifes de luxo de maior prestígio no mundo e bateu recordes de faturamento.

 

Herdeiro dos fundadores da marca, Dumas conseguiu que a empresa abrisse seu capital em bolsa e divulgou seu prestígio por meio de uma rede de mais de 300 estabelecimentos pelo mundo.

 

A marca desenvolveu peças conhecidas há décadas como a bolsa Kelly, em homenagem a Grace Kelly, ou a bolsa Birkin, chamada assim por causa da cantora e atriz Jane Birkin.

 

Dumas entrou na Hermès em 1964. Em 1978, tornou-se seu mais alto executivo, cargo que em janeiro de 2006 passou a Patrick Thomas devido a problemas de saúde.

 

Durante anos, seu nome figurou na lista dos empresários mais ricos da França graças a sua gestão e a suas ações na companhia, fundada em 1837 por Thierry Hermès. (EFE)

Tudo o que sabemos sobre:
Jean-Louis Dumas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.