Reprodução
Reprodução

Morre Jan Pieńkowski, ilustrador conhecido por desenhos 'góticos'

Com estilo inconfundível, polonês publicou mais de 140 livros infantis e ficou marcado por praticamente dispensar palavras para contar histórias

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2022 | 16h28

Jan Pieńkowski, um dos mais originais ilustradores e designers europeus, morreu neste domingo, 20, aos 85 anos, em Londres. Ele publicou mais de 140 livros para crianças e seu trabalho ficou marcado por quase dispensar palavras para contar uma história. Seu estilo é inconfundível. Pieńkowski recorria a cores brilhantes e formas definidas.

Um de seus títulos mais populares, feito em colaboração com a escritora Helen Nicoll é Meg and Mog, uma série engraçada sobre uma bruxa e seu gato. Numa entrevista, Pieńkowski disse que a série, que produziu com Helen Nicoll entre 1972 e 2012, permitiu a ele que trabalhasse com figuras dos monstros de sua infância. O gato listrado da bruxa de Meg and Mog, revelou o ilustrador, foi inspirado nos gatos que sofreram nas mãos de Dennis, o Pimentinha, um garoto peralta dos quadrinhos que os vizinhos detestavam.

Pieńkowski recebeu um dos mais prestigiados prêmios de ilustração em 1971, ao assinar a segunda colaboração com a escritora Joan Aiken, O Reino Submarino, composto de histórias inspiradas em contos de fadas do leste europeu, lugar de origem de Pieńkowski.

Com o fim da 2ª. Guerra, ele fixou residência em Londres. Seu interesse pela técnica da colllage que marcou suas ilustrações nasceu justamente durante a guerra, em Varsóvia, onde um soldado mantinha o garoto distraído recortando jornais e construindo engraçadas figuras. Críticos observaram que o estilo gótico do polonês era um tanto macabro para crianças. Mas atraente.

Ambicioso, é dele uma edição da Odisseia de Homero com ilustrações. Ele também ilustrou a Bíblia.

Tudo o que sabemos sobre:
Jan Pienkowskiilustração

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.