Morre Guido Crepax, criador da Valentina

O desenhista italiano Guido Crepax morreu ontem, em um hospital de Milão, aos 70 anos. Criador da sexy Valentina, Crepax foi um mestre do quadrinho erótico. Nasceu em 1933, na mesma Milão, com o nome de Crepas.Formou-se em arquitetura e estreou nos quadrinhos em 1959, trocando seu nome para Crepax. Seis anos depois, nascia seu personagem mais famoso: a fotógrafa e estrela de cinema Valentina, inspirada na atriz Lousie Brooks. Das páginas da revista italiana Linus, onde reinava nos anos 60, Valentina ganhou o mundo e virou ícone da mulher independente, decidida e extremamente sexy. Valentina era a mulher de curvas perfeitas e pernas intermináveis, que tornou-se mito erótico de várias gerações e chamou a atenção para o traço de Crepax. Suas histórias em quadrinhos foram publicadas na França, Espanha, Japão e Estados Unidos. No Brasil, a editora gaúcha L&PM lançou vários títulos com as histórias de Valentina, muitos esgotados, e a editora paulista Martins Fontes publicou outros, como Emmanuelle e Conde Drácula, disponíveis nas livrarias.Além das aventuras de Valentina, Crepax também ficou famoso por suas adaptações literárias, levando ao formato da HQ obras do Marquês de Sade (Justine), Bram Stoker (Conde Drácula), Edgar Allan Poe (O Crime da Rua Morgue) e Stevenson (O Médico e o Monstro). O elenco de personagens de Crepax ganhou até estudo do prestigiado semiólogo francês Roland Barthes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.