EFE
EFE

Morre Frank McCourt, 78, autor de 'As Cinzas de Ângela'

Romance premiado com o Pulitzer foi levado às telas por Alan Parker, com Emily Watson e Robert Carlyle

EFE,

19 de julho de 2009 | 23h41

Frank McCourt, autor de As Cinzas de Ângela, morreu aos 78 anos em Nova York após ser internado em um hospital há duas semanas com quadro de meningite, informou neste domingo, 19, a imprensa americana.

 

O jornal Los Angeles Times disse que Malachy, irmão do escritor, confirmou que McCourt morreu na clínica para doentes terminais onde estava internado com uma meningite que contraiu há duas semanas.

O autor, de origem irlandesa, também era tratado de um melanoma, o câncer de pele mais grave.

 

"Suas faculdades estão se apagando. Não espera-se que sobreviva", disse Malachy na sexta-feira passada.

 

O escritor, um ex-professor de língua e literatura que deu aulas no sistema público de ensino de Nova York, ficou famoso com As Cinzas de Ângela, de 1996, seu primeiro livro, no qual narra as memórias sobre a pobreza na qual viveu nos Estados Unidos e Irlanda durante sua infância.

 

Ele ganhou o prêmio Pulitzer com este romance.

 

A obra foi traduzida para 30 idiomas e foi inclusive adaptada ao cinema, em um filme dirigido por Alan Parker e que teve no elenco Emily Watson e Robert Carlyle.

 

McCourt publicou Tis em 1999, a segunda parte de suas memórias, que começa com seu retorno a Nova York, aos 19 anos. Em seguida lançou Teacher Man, em 2005.

 

O escritor vivia com a segunda mulher, Ellen, e tinha uma filha, Maggie, e três netos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.