Morre filósofo francês Jean Desanti

O filósofo francês Jean-Toussaint Desanti morreu no domingo, aos 87 anos, segundo comunicou à imprensa, hoje, a editora Olide Jacob. O filósofo havia sido operado do coração há pouco tempo. Nascido no dia 8 de outubro de 1914, em Ajaccio, na Córcega, Desanti era considerado um dos mais destacados filósofos da França, além de herdeiro intelectual de Maurice Merleau-Ponty, por ter se dedicado sobretudo ao estudo da fenomenologia.Professor da Sorbonne desde 1983, Desanti publicou numerosos trabalhos, entre eles, Introduction à la Phénomémologie (Introdução à Fenomenologia), Les Idéalités Mathématiques (Os ideais matemáticos), La Philosophie Silencieuse (La filosofía silenciosa) e "Le Philosophe et les Pouvoirs" (O filósofo e os poderes).Pouco antes de sua morte, o filósofo concluiu juntamente com sua esposa, a escritora Dominique Desanti, o livro La Liberté nous Aime Encore (Nós ainda amamos a Liberdade). Dominique, com quem estava casado desde 1937, é biógrafa de Flora Tristan, de Elsa Triolet e de Aragon.Jean-Toussaint Desanti atuou na Resistência francesa contra a ocupação nazista na década de 40. Ele e a esposa aderiram ao Partido Comunista nesta época e distanciaram-se da militância de esquerda após repressão à insurreição da Hungria, em 1956. Escreveram e atuaram na cena intelectual francesa desde a época de Sartre e Simone de Beauvoir até Jacques Lacan. No último livro que escreveram juntos pode-se notar seu istanciamento da fenomenologia e da matemática e uma maior aproximação com os grandes problemas contemporâneos e a ética.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.