Morre ex-integrante do BBB-4 Edílson Buba, aos 34 anos

O empresário curitibano Edílson Buba, de 34 anos, que ficou conhecido ao participar da 4.ª edição do Big Brother Brasil, da Rede Globo, em 2004, morreu na primeira hora desta madrugada, em decorrência de câncer no estômago. Ele estava internado desde o dia 17 de setembro no Hospital Vita, em Curitiba, para tratamento de dois tumores no abdome. Segundo boletim médico divulgado pelo hospital, ele morreu devido a uma "neoplasia gástrica". O boletim vem assinado pelos médicos Jackson M. Baduy, Celso Fiszbeyn e Marcos F. Sigwalt. O corpo foi cremado no início da tarde no Crematório Vaticano, em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba. Frágil, o organismo dele foi acometido por uma infecção generalizada que culminou em falência múltipla de seus órgãos. O empresário descobriu que estava doente há pouco mais de três meses, quando os tumores já se encontravam em estado avançado, fator que dificultou a ação da equipe médica. Sumido da televisão nos últimos dois anos, Buba apareceu na mídia pela última vez quando foi preso por tráfico de drogas, em abril de 2004. Flagrado com 18 comprimidos de ecstasy e 50 gramas de maconha, o empresário confessou que ele e a namorada eram viciados e ficou detido por 95 dias. Ao sair da cadeia, fundou a ONG Vida Limpa, Vida Livre, criada para auxiliar crianças e jovens entre 7 e 21 anos a deixarem o vício. Questionado pela polícia sobre o envolvimento com as drogas, Buba declarou à época que as recebia principalmente de fãs, durante as festas noturnas que promovia. Buba era dono de casas noturnas em Florianópolis. Ele explicou, ainda, que as drogas encontradas em sua mochila no dia da prisão haviam sido presente de amigos. Em 2005, já recuperado do incidente, o empresário posou nu para a revista G Magazine e decidiu doar todo o cachê para as obras da ONG. Segundo Rui Barroso, que era assessor de imprensa dos negócios do empresário, as cinzas de seu corpo serão jogadas ao mar, a pedido dele, por seus amigos surfistas em cerimônia no balneário de Coroados no sétimo dia de sua morte. Segundo Barroso, a última iniciativa do empresário foi a inauguração do bar Seis&Meia, no bairro Rebouças, no último dia 8, sem a sua presença. Conta que o nome do bar refere-se ao seu apelido, pois costumava marcar encontro com amigos surfistas às 6h30, mas sempre chegava atrasado. Era casado com Dirliane Matthe Buba, mas não tinha filhos.

Agencia Estado,

20 Novembro 2006 | 20h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.