Morre Eugenio Granell, o último surrealista espanhol

O pintor e escritor espanhol Eugenio Granell morreu na madrugada de hoje, em Madri, aos 89 anos. De acordo com a família, a morte foi conseqüência de uma prolongada doença respiratória.Apontado como o último surrealista espanhol da geração que movimentou as artes na primeira metade do século, Granell pautou sua trajetória por uma marcante polivalência artística, atuando também como poeta, músico e professor. No início do ano, recebeu a Medalha de Ouro de Belas Artes.Natural de La Coruña, Granell participou da Guerra Civil Espanhola, na década de 30. Derrotado pelas forças do ditador Francisco Franco, foi então obrigado a se exilar por quase 30 anos, boa parte deles na América Latina.Foi na República Dominicana que Granell conheceu o escritor francês André Breton, um dos criadores da escola surrealista, à qual então aderiu. Passou a integrar o círculo de artistas da segunda geração surrealista, que incluía nomes como Matta, Giacometti, Lam, entre outros.No final da década de 50, mudou-se para Nova York e só conseguiu regressar à Espanha em 1969. Desde 1985, vivia em Madri. Seu corpo será enterrado hoje, na região da La Olmeda de las Fuentes, onde mantinha um estúdio.

Agencia Estado,

25 de outubro de 2001 | 10h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.