Morre Eugenio Granell, o último surrealista espanhol

O pintor e escritor espanhol Eugenio Granell morreu na madrugada de hoje, em Madri, aos 89 anos. De acordo com a família, a morte foi conseqüência de uma prolongada doença respiratória.Apontado como o último surrealista espanhol da geração que movimentou as artes na primeira metade do século, Granell pautou sua trajetória por uma marcante polivalência artística, atuando também como poeta, músico e professor. No início do ano, recebeu a Medalha de Ouro de Belas Artes.Natural de La Coruña, Granell participou da Guerra Civil Espanhola, na década de 30. Derrotado pelas forças do ditador Francisco Franco, foi então obrigado a se exilar por quase 30 anos, boa parte deles na América Latina.Foi na República Dominicana que Granell conheceu o escritor francês André Breton, um dos criadores da escola surrealista, à qual então aderiu. Passou a integrar o círculo de artistas da segunda geração surrealista, que incluía nomes como Matta, Giacometti, Lam, entre outros.No final da década de 50, mudou-se para Nova York e só conseguiu regressar à Espanha em 1969. Desde 1985, vivia em Madri. Seu corpo será enterrado hoje, na região da La Olmeda de las Fuentes, onde mantinha um estúdio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.