Morre em SP a escritora Cassandra Rios

Morreu hoje em São Paulo, no hospital Santa Helena, a escritora Cassandra Rios, autora de A Tara e Tessa, a Gata, entre outros. Nascida em 1932 com o nome de Odete Rios, ela foi uma das autoras mais vendidas dos anos 60 e 70 ? e também das mais perseguidas pela censura. Estreou com Volúpia do Pecado (1948) e foi um sucesso popular com incontáveis livros, ao lado da também considerada pornógrafa Adelaide Carraro (autora de Adelaide no Mundo com Sílvio Santos). Chegou a vender quase 300 mil exemplares de seus livros por ano, números que só seriam rivalizados por Paulo Coelho. Misturava em suas obras homossexualismo feminino, cultos umbandistas, negócios e política, combinação que não respeitava o ?bom gosto? que o regime militar desejava preservar. Com a abertura, um de seus livros, A Paranóica, foi adaptado para o cinema, com título de Ariella. Ariella (Nicole Puzzi) era uma menina rejeitada que vivia numa mansão e que descobre que seu tio fingia ser seu pai para ficar com sua fortuna. Para se vingar, passa a usar o próprio corpo, desintegrando a família.Cassandra queixava-se de confundirem suas obras com sua vida. Numa entrevista recente à revista TPM, afirmou: ?O que mais me incomodou foi me encararem como personagem de livro. Então não tenho capacidade para ser escritora?!?. Nenhuma de suas obras está nas livrarias, mas são comuns em sebos e em saldões. Cassandra será enterrada amanhã, no cemitério de Santo Amaro, às 8h30.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.