Morre editor que mudou linha editorial da revista Time

O jornalista Henry A. Grunwald, morreu neste sábado, aos 82 anos, de falência cardíaca, em Manhattan, nos Estados Unidos. Grunwald foi editor de uma das principais publicações norte-americanas, a revista Time. Ele ficou conhecido por mudar a linha editorial da revista, de conservadora para mais centrista. Austríaco, Grunwald também foi embaixador dos Estados Unidos em Viena. O papel de Grunwald na definição do perfil da Time talvez só tenha sido menor que o do fundador da publicação, Henry R. Luce. Durante a gestão de Grunwald, a revista criou várias novas seções, entre elas, Comportamento, Energia, Economia e Dança."Ele tirou a parcialidade da revista e fortaleceu a independência de sua voz em assuntos nacionais e internacionais", disse o editor-chefe da Time, Norman Pearlstine.Um dos textos que consagraram Grunwald´s foi o editorial que ele escreveu durante o escândalo de Watergate, pedindo ao presidente Richard Nixon que renunciasse. "O pesadelo de incerteza deve terminar", escreveu ele, em novembro de 1973. Nixon renunciou em 74. Depois de 11 anos à frente da revista Time, Grunwald foi diretor de todas as publicações do grupo, entre elas, as revistas Fortune, Sports Illustrated, People e Money, até sua aposentadoria em 1987.Grunwald deixa a mulher, Louise Melhado, três filhos, um enteado e quatro netos. Sua primeira esposa, Beverly Suser, morreu em 1981.

Agencia Estado,

27 de fevereiro de 2005 | 15h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.