Morre, aos 97 anos, único inglês mandado a Auschwitz

Leon Greenman, o único inglês no campode concentração de Auschwitz, morreu nesta sexta-feira em umhospital de Londres, aos 97 anos, informou o museu judaico. A mulher de Greenman, a holandesa Esther, e seu filhoBarney, de 3 anos, morreram em Auschwitz, na Segunda GuerraMundial. "Ele quebrou a perna recentemente e estava internado nohospital no norte de Londres, onde faleceu hoje", disse umaporta-voz do museu. Greenman sobreviveu a seis campos de concentração e a umacaminhada de 90 quilômetros. Durante seu cativeiro, ele jurouque se sobrevivesse dedicaria o resto de sua vida contando aomundo o que aconteceu com ele e milhões de outros prisioneiros. Ele cumpriu a promessa, escrevendo o livro "An Englishmanin Auschwitz" (um inglês em Auschwitz) e dando muitas palestrasaté bem pouco tempo atrás. Em 1988, Greenman recebeu um prêmiopor seu trabalho contra o racismo. Nascido em Londres, em 18 de dezembro de 1910, Greenman semudou com a família para Roterdã, na Holanda, quando tinha 5anos de idade. Lá conheceu no início da década de 30 Esther vanDam, que era holandesa, mas morava em Londres. Eles se casaramem 1935, mas voltaram para Roterdã para cuidar da avó dela. Seufilho Barney nasceu em 1940. Os alemães invadiram a Holanda em maio de 1940 e em outubrode 1942 os Greenmans foram levados com centenas de outrosjudeus primeiramente para Westerbork e, depois, a Auschwitz,onde sua mulher e filho foram mortos numa câmara de gás. Greenman foi libertado do campo de Buchenwald em 11 deabril de 1945 pelo 3o Exército dos Estados Unidos. Ele nunca voltou a casar-se e sofreu pela morte da mulher edo filho por toda a sua vida, informou o museu. (Reportagem de Jeremy Lovell)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.