Morre aos 95 anos o escritor francês Robert Merle

O escritor francês Robert Merle morreu no fim de semana passado, conforme revelou hoje sua editora. Nascido na Argélia em 1908, Merle morreu em sua casa, perto de Paris, vítima de um problema cardíaco não-especificado. Seu corpo foi sepultado em cerimônia íntima. São de sua autoria algumas das obras-primas da literatura de seu país, como Un Animal Doué De Raison, de 1967, (Um Animal Dotado de Razão), na qual trata da comunicação entre homens e animais, Malevil, de 1972, em que imagina a humanidade após uma catástrofe nuclear e La Mort Est Mon Metier, de 1962, (A Morte É Meu Ofício), sobre os campos de concentração. Os dois últimos livros podem ser encontrados no Brasil publicados pela editora portuguesa Europa-América, bem como O Ídolo (L? Idole), de 1995, da também portuguesa Gradiva.Merle ficou famoso após ganhar o Goncourt em 1949, o mais prestigiado prêmio literário francês, com seu primeiro romance Week-end a Zuydcoote (Fim de Semana em Zuydcoote), no qual recorda a retirada de Dunquerque na 2.ª Guerra Mundial, quando ficou preso por três anos. Mais recentemente vinha se dedicando a escrever uma saga histórica de muito sucesso de público, sendo o primeiro volume Fortune de France (Fortuna da França), publicado em 1977, e o último, Le Glaive et Les Amours (A Espada de Dois Gumes e os Amores), há cerca de um ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.