Morre aos 75 anos o cronista Lourenço Diaféria

Autor de 'Brás - Sotaques e Desmemórias' sofria de problemas cardíacos há cerca de um ano

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

17 de setembro de 2008 | 10h39

O cronista e jornalista Lourenço Diaféria morreu na noite de terça-feira, 16, aos 75 anos, em sua casa, em São Paulo, decorrente de problemas cardíacos. Diaféria apresentava problemas de saúde há cerca de um ano. O corpo do cronista está sendo velado no cemitério Getsêmani, na Praça da Ressureição, no Morumbi, zona sul da cidade, e o sepultamento será às 16 horas desta quarta.  Sua carreira jornalística começou em 1956 na Folha da Manhã, hoje Folha de S. Paulo. Começou como cronista em 1964, quando escreveu seu primeiro texto assinado. Permaneceu no periódico paulista até 1977, quando foi preso pelo regime militar pelo conteúdo da crônica Herói. Morto. Nós, que foi considerada uma ofensa às Forças Armadas. Escreveu também para o Jornal da Tarde, Diário Popular e Diário do Grande ABC, além das rádios Excelsior, Gazeta, Record, Bandeirantes e para a TV Globo. Entre suas obras mais recentes estão O Imitador de Gato (2000) e Brás - Sotaques e Desmemórias (2002).

Tudo o que sabemos sobre:
Lourenço Diaféria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.