Morre Anthony Minghella, diretor de 'O Paciente Inglês'

Cineasta venceu o Oscar de melhor diretor em 1997, com a adaptação da obra de Michael Ondaatje

Agências internacionais,

18 de março de 2008 | 10h15

O diretor de cinema britânico Anthony Minghella, vencedor do Oscar de melhor diretor em 1997 por O Paciente Inglês, morreu nesta terça-feira, 18, aos 54 anos, devido a uma hemorragia cerebral após ser operado em um hospital londrino, anunciou seu agente à agência de notícias BBC.   Veja também: Trailer de 'O Paciente Inglês'  Morte de Minghella provoca comoção no mundo cultural   A morte do diretor causou grande comoção no mundo da cultura britânica, no qual era uma figura destacada não só pelo trabalho como cineasta, mas também por ser presidente do British Film Institute.   Minghella acabava de estrear seu mais recente filme no Reino Unido, The Nº 1 Ladies' Detective Agency, uma adaptação do romance de Alexander McCall Smith, que foi rodado em Botsuana, na África. Além de dirigir ele foi o co-roteirista em parceria com Richard Curtis, autor do roteiro de Quatro Casamentos e Um Funeral.   Em 1997, ganhou o Oscar de Melhor Diretor com O Paciente Inglês, uma adaptação do romance de Michael Ondaatje, que levou sete Oscars naquele ano. Também foi indicado como roteirista duas vezes, uma pelo mesmo filme e outra por O Talentoso Ripley, em 1999.   Minghella também dirigiu o filme Cold Mountain, que rendeu a Renée Zellweger o Oscar de melhor atriz coadjuvante, em 2003, e uma indicação a Jude Law como melhor ator. O filme teve um elenco estelar, contando ainda com Nicole Kidman, Philip Seymour Hoffman, Natalie Portman, Giovanni Ribisi e Donald Sutherland.   Nascido na ilha inglesa de Wight, de pai italiano e mãe escocesa, donos de uma sorveteria famosa no País de Gales, formou-se em teatro na Universidade de Hull (norte da Inglaterra).   Segundo o The Guardian, Minghella começou sua carreira dirigindo e escrevendo peças de teatro, tendo recebido vários prêmios nos anos 80, como o de melhor peça por Made in Bangcoc, em 1986. Escreveu também obras para o rádio e fez séries para a televisão britânica, tanto na BBC quanto no canal ITV.   Em 1990, começou a trabalhar no mundo do cinema, com o filme Um Romance do Outro Mundo, seu primeiro grande sucesso de bilheteria. Depois vieram outros filmes, e até uma montagem de ópera, o de Madame Butterfly de Puccini para a Ópera Metropolitana de Nova York, em 2006, com o qual obteve um prêmio de melhor produção cênica.   Em 2005, Minghella colaborou na campanha eleitoral do Partido Trabalhista britânico dirigindo um anúncio de propaganda eleitoral protagonizado pelo então candidato à reeleição, Tony Blair, e por Gordon Brown.   Era casado, desde o tempo da faculdade, com a coreógrafa Carolyn Choa, que criou as cenas de dança de O Paciente Inglês. Tiveram dois filhos, Max, que é ator e trabalha atualmente no último filme de Alejandro Alménabar, Ágora, e Hannah, que é assistente de produção.    Matéria atualizada às 15h33 para acréscimo de informação

Tudo o que sabemos sobre:
Anthony MinghellaO Paciente Inglês

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.