Morre Ademilde Fonseca

Um infarto - um dia depois de participar de uma gravação da Globonews que celebrava seus 70 anos de carreira, e 23 desde o aniversário de 91 anos - matou a cantora Ademilde Fonseca, anteontem à noite. Ela estava em casa. O enterro foi ontem. Ademilde foi a primeira artista a cantar choro, em 1942. Até então, tratava-se de um gênero estritamente instrumental. Ficou conhecida como "a rainha do chorinho".

ROBERTA PENNAFORT / RIO, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2012 | 03h10

"Ela estava bem, era uma pessoa de hábitos muito saudáveis, não cometia excessos. Tinha as coisinhas normais da idade, mas nada que a fizesse ficar acamada", lamentou a cantora Ellen de Lima, sua amiga.

"Convivo com ela desde antes da Rádio Nacional, já viajávamos juntas. São mais de 50 anos de amizade. Com a morte de Nora Ney (em 2003), ela passou a fazer conosco os shows Cantoras do Rádio. No gênero dela, era um ícone, única, eterna."

O apresentador Chico Pinheiro gravou um programa Sarau com ela na segunda-feira. Ademilde lembrou sucessos acompanhada do cavaquinista Henrique Cazes. "Alegre, festiva, ela se despediu da vida cantando", disse Pinheiro, ontem.

Já com quatro bisnetos, Ademilde estava sempre bem arrumada - as amigas brincavam que já dormia maquiada e penteada. Era bem-humorada e tinha prazer em cultivar as velhas histórias dos bastidores do rádio.

Nasceu no Rio Grande do Norte e lá morou até 1940, quando se tornou carioca. Cantava desde criança e na adolescência passou a participar de serestas, vindo a se casar com um violonista seresteiro. Em 1941, veio para o Rio. Na cidade, receberia de Benedito Lacerda o título de rainha.

Em 1942, gravou o primeiro dos mais de 50 discos (a maior parte, 78 rotações; nos anos 40, 50 e 60, por vezes lançou mais de um por ano). Os maiores sucessos seriam Tico-Tico no Fubá - o primeiro de todos - , Brasileirinho, O Que Vier Eu Traço e Apanhei-te Cavaquinho.

Apresentou-se com Canhoto, Jacob do Bandolim e Pixinguinha e com a orquestra de Radamés Gnattali. Não gravou só choros, mas também maxixes, marchas e sambas. Excursionou pelo País todo e pela Europa - chegou a ter show em cartaz em Portugal por meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.