Pablo Martinez Monsivais/AP Photo
Pablo Martinez Monsivais/AP Photo

Morre a poeta e ativista Maya Angelou

Escritora ganhou notoriedade com autobiografia no início dos anos 1970

O Estado de S. Paulo

28 de maio de 2014 | 11h04

A poeta e ativista social Maya Angelou, de 86 anos, morreu nesta quarta-feira, 28, em sua casa, na Carolina do Norte, Estados Unidos, informou sua agente Helen Brand. Autora da famosa autobiografia I Know Why The Caged Birds Sings, de 1969, Angelou era considerada uma das principais intelectuais americanas. Além de escritora, ela também foi bailarina, atriz e a primeira diretora negra de Hollywood.

Ela foi a poeta escolhida pelo ex-presidente americano Bill Clinton para fazer a leitura oficial na sua primeira posse, em 1993. Em 1998, ela dirigiu o filme Ressurreição, sobre uma mulher com problemas com drogas que retorna para suas origens no delta do rio Mississipi.

::: Cultura Estadão nas redes sociais :::
:: Facebook ::
:: Twitter ::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.