Mordomo de Diana publica segundo livro sobre a princesa

Quatro anos após revelar em um livro os segredos mais íntimos de Diana de Gales, o ex-mordomo da princesa, Paul Burrell, escreveu uma outra obra em que nega a teoria de que Lady Di foi assassinada, informa nesta segunda-feira o "Daily Mail".Estas novas revelações, que serão publicadas pelo dominical do "Mail", coincidem com o nono aniversário da morte de Diana de Gales e de seu amante Dodi Al Fayed em um acidente de trânsito no túnel da ponte Alma em Paris.Intitulado "The Way We Were" (Tal como Éramos), o livro reúne novos dados que desmentem a hipótese sustentada pelo empresário Mohammed Al Fayed, pai de Dodi, de que o casal foi assassinado para evitar que a princesa, divorciada do herdeiro do trono britânico, Charles da Inglaterra, se casasse com um muçulmano.Burrell afirma ter descoberto o "mistério" que rodeia o anel com que Dodi presenteou Lady Di dois dias antes de sua morte, considerado por muitos uma aliança de compromisso.Segundo o mordomo, não existia nenhum compromisso de casamento porque a princesa usava a jóia na mão direita como "um anel de amizade".Os investigadores do caso "Diana" não consideram a revelação de Burrell como "uma nova prova", porque, segundo eles, o mordomo disse tudo o que sabia quando foi interrogado pela Polícia há dois anos.A Clarence House, residência oficial do príncipe Charles, não fez nenhum comentário sobre o livro, mas uma fonte próxima a William e Harry, filhos de Diana, afirmou que "os príncipes se sentem traídos e decepcionados, assim como há quatro anos, quando Paul Burrell publicou seu livro".Burrell obteve um grande lucro com a venda da obra, titulada "Royal Duty" (Dever real). O livro vendeu mais de meio milhão de exemplares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.