Reprodução
Reprodução

Monumento a Pasolini em Roma é vandalizado com mensagem homofóbica

Grupo de extrema direita danificou as pedras de mármore com escritos do italiano, próximo ao porto romano de Ostia

EFE

31 de março de 2016 | 15h21

ROMA - O memorial que recorda o artista italiano Pier Paolo Pasolini, construído no local onde ele foi assassinado em 1975, perto do porto romano de Ostia, apareceu nesta quinta-feira, 31, danificado e com um cartaz com insultos homofóbicos dirigidos ao intelectual.

O monumento, abandonado durante anos e recentemente restaurado, foi concebido como um jardim literário, em todo o parque é possível ler poesias e reflexões do artista inscritas em placas de mármore.

A mensagem foi deixada pelo grupo de extrema direita "Militia", e dizia: "mas que poeta e mestre? maricas e pederasta, isso que ele era".

O presidente da região do Lacio (centro), Nicola Zingaretti, condenou a ação e a atribuiu a "patifes".

"Pasolini foi um grande italiano e um grande intelectual. Quem danificou seu monumento em Ostia é um patife. Estamos preparados para reparar a obra", disse em um comunicado.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Pier Paolo PasoliniRomaItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.