Monty Python e Chaplin, riso certo

Atraídos pelo Destino

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2012 | 03h13

16H05 NA GLOBO

(It Could Happen to You). EUA, 1994. Direção de Andrew Bergman, com Nicolas Cage, Bridget Fonda, Rosie Perez, Isaac Hayes, Seymour Cassel, Stanley Tucci.

Policial de bom coração, ao não poder dar uma gorjeta a uma garçonete, promete dividir o prêmio da loteria, caso ganhe. É o que acontece e ele acaba honrando sua promessa, para desespero de sua mulher. Comédia romântica muito simpática, com trama otimista e valorizada pelo bom elenco. Reprise, colorido, 101 min.

Tishe!

23H30 NA CULTURA

(Tishe!). Rússia, 2002. Direção de

Victor Kossakovsky.

O diretor Victor Kossakovsky, que ganhou em 1993 o prêmio Joris Ivens com Belovy, fez esse documentário que descreve como "comédia". Ele filmou de sua janela e se inspirou tanto na primeira foto da história da fotografia, Vista da Janela em Le Gra (1826-1827), de Nicéphore Nièpce (1765-1833), como no conto A Janela de Esquina de Meu Primo, 1822, de E.R.A. Hoffman (1776-1822). A partir disso, ele mostra o mundo do ângulo de um paralítico que passa boa parte do tempo diante da janela de seu quarto. É uma aposta que vale, ao menos, uma espiada. Reprise, colorido, 80 min.

Desenho do Corpo

0H30 NA TV BRASIL

Brasil, 2009. Direção de Cristiane

Arenas.

Documentário que se vale de personagens como modelos vivos, bailarinas e teóricos da arte para discutir o ideal de beleza feminina no mundo contemporâneo. Viajando ao passado, aos mitos gregos, a diretora Cristiane Arena mostra como os antigos buscavam o equilíbrio das formas - e do exterior como expressão do interior das pessoas. Ela conclui, um tanto obviamente, que o padrão de beleza hoje segue as regras do consumo. Reprise, colorido, 52 min.

TV PAGA

Um Peixe Chamado Wanda

12H30 NO MGM

(A Fish Called Wanda). EUA, 1988. Direção de Charles Crichton, com John Cleese, Jamie Lee Curtis, Kevin Kline, Michael Palin, Maria Aitken e Tom Georgeson.

Uma carga de joias valiosíssimas é roubada por uma quadrilha composta por dois ingleses e dois irmãos americanos, que decidem esconder as joias em um lugar secreto. Tão secreto que ninguém irá descobrir onde estão. Nem mesmo eles. Humor de primeira linha, especialmente pela atuação de Kevin Kline como um cafajeste, o que lhe rendeu o Oscar de melhor ator coadjuvante. Destaque também para o trabalho do veterano diretor Charles Crichton, que fez O Mistério da Torre, em 1950, com Alec Guinness, um dos clássicos da comédia inglesa. Reprise, colorido, 108 min.

Viagem Fantástica

14 H NO TCM

(Fantastic Voyage). EUA, 1966.

Direção de Richard Fleischer, com Stephen Boyd, Raquel Welch, Edmund O'Brien, Donald Pleasence e Arthur O'Connell.

Cientistas são miniaturizados e viajam no interior do corpo de um homem que necessita de uma operação no cérebro. Eles têm dois inimigos: os glóbulos brancos e o sabotador infiltrado no grupo. O diretor Richard Fleischer, filho do animador Max Fleischer, trocou a medicina pelo drama em Yale e iniciou sua carreira no cinema na RKO, fazendo curtas e editando noticiários para o estúdio. Até pelo conhecimento de causa, criou um filme de visual realmente magnífico. Não admira que o cartaz do TCM tenha recebido o Oscar de cenografia e efeitos especiais. A destacar dois pontos: 1) a viagem dura uma hora e o tempo real coincide com o cinematográfico, a partir do momento em que o minissubmarino é lançado na corrente sanguínea; e 2) nos anos 1980, Joe Dante fez Viagem Insólita, narrando outra incursão pelo interior do corpo humano. Reprise, colorido, 100 min.

Em Busca do Ouro

20H35 NO TELECINE CULT

(The Gold Rush). EUA, 1925. Direção

e interpretação de Charles Chaplin, com Georgia Hale, Mack Swain,

Tom Murray.

Carlitos, o vagabundo, vai para o Alasca, em plena corrida do ouro, às voltas com garota de saloon e explorador de maus bofes. Como de hábito, situações triviais se transformam em comédia refinada graças ao gênio de Charles Chaplin. Existem cenas antológicas, como o barraco equilibrando-se sobre o abismo, a dança com os pãezinhos e, principalmente, a cenas em que Carlitos, esfomeado, tenta comer os cordões de seus sapatos como se fossem fios de espaguete. Um programa e tanto. Reprise, preto e branco, 82 min.

Monty Python e o Sentido da Vida

1H25 NO TCM

(Monty Python's The Meaning of

Life). Inglaterra, 1983. Direção e

interpretação de Terry Jones, com Graham Chapman, John Cleese,

Terry Gilliam, Eric Idle, Michael Palin, Carol Cleveland.

Fantasia criada pelo famoso grupo de humoristas ingleses sobre os assuntos mais importantes da vida - nascimento, religião, trabalho, casamento, morte, nada escapa de sua crítica mordaz e ferina. Realizado em 1983, o longa foi o último trabalho do grupo, que já enfrentava uma série de divergências internas e se dissolveu em seguida, com cada um seguindo uma carreira solo, com destaque para o hoje cineasta Terry Gilliam e o impecável ator John Cleese. Reprise, colorido, 103 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.