Montagem mergulha no universo feminino

Os fãs do seriado As Panterastêm um motivo a mais para assistir ao espetáculo As maisFortes, que estréia amanhã na Sala Paschoal Carlos Magno doTeatro Sérgio Cardoso, em São Paulo. Em sua concepção da comédiaque tem texto de Cláudia Vasconcellos - mesma autora de AsIrmãs do Tempo -, o diretor Jairo Matos faz uma brincadeiracom a linguagens dos seriados de TV, em especial com AsPanteras, que girava em torno das peripécias de três mulherespoliciais.Elas são quatro em As mais Fortes. E não sãoexatamente policiais, embora acabem por desvendar, sem querer,um "caso" bastante escabroso. As atrizes Alessandra Thomazini,Keila Taschini, Rosângela Frasão e Verônica Mello interpretamquatro amigas de infância que se reencontram numa festinha após11 anos de separação. "A peça explora a ação do tempo sobreessas mulheres", diz Matos. Mulheres com perfis muitodiferentes: uma empresária, uma "perua", outra no estilo "bicho-grilo" e, a última, uma mulher voltadapara a casa e o casamento."Na infância, elas brigavam por causa de meninos. Agora, já balzaquianas, brigam por causa de ... meninos", ironiza odiretor. Em sua concepção, ele optou por reforçar o tom de humorácido já presente no texto. "Há quem chegue a duvidar que apeça tenha sido escrita por uma mulher. Cláudia pegou pesado.Ela aponta defeitos femininos com crueldade."O ponto de partida foi o monólogo A mais Forte, deStrindberg, no qual uma mulher fala sobre sua relaçãoconflitante com uma amiga. A partir daí, Cláudia constrói ahistória dessas quatro mulheres, de personalidades bemdiferentes, porém com igual talento para manter relações a um sótempo de amor e ódio com as amigas.Tudo começa na casa de uma delas, a empresária, que estáem plena mudança. Ali, as amigas que há vinham planejando um reecontroresolvem realizar uma festa surpresa. Começa um animado papo deamigas. A autora não teve a pretensão de traçar um panorama dassituação da mulher contemporânea, nem mesmo optou por um recorteque permitisse grande profundidade.Mas ainda assim consegue colocar em cena um tipo demulher que, ao adquirir sua independência financeira, comprou douniverso masculino o pacote completo, desde o trabalhoestressante até a dificuldade de unir sexo e afeto. "É umamontagem despretensiosa, mas sob o aparente tom de brincadeira,a gente toca em coisas sérias."As Mais Fortes. Comédia. De CláudiaVasconcellos. Direção Jairo Matos. Duração: 70 minutos. Quinta asábado, às 21 horas; domingo, às 19 horas. R$ 20,00. TeatroSérgio Cardoso - Sala Paschoal Carlos Magno. Rua Rui Barbosa,153, em São Paulo, tel. (11) 288-0136. Até 16/12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.