Montagem leva às ruas a história da dança

O Cisne Negro Cia. de Dança apresentou em setembro, no Teatro São Pedro, o espetáculo Vem Dançar, uma peça que conta a história da dança por meio da própria dança. Agora, com o patrocínio da BR Distribuidora, o grupo leva a coreografia para as ruas, gratuitamente. Um caminhão-palco de 97,5 metros, carregado de gerador próprio, luz e uma equipe composta por oito pessoas, estará auxiliando os bailarinos no sábado, às 19h30, na apresentação que será realizada na Avenida Cangaíba, altura do 2.400, e, no domingo, na Rua José Pinto Tavares com Rua Juventino Miguel, às 15 horas.Do alto do palco os bailarinos contam a história da dança ocidental a partir do século 16. O balé clássico, os grandes balés românticos, as peças de criadores de peso como Isadora Duncan, Martha Graham e Merce Cunningham estão no programa assim como danças folclóricas, de rua, funk e o hip-hop. Vem Dançar tem como mestre-de-cerimônias o Rei Sol e faz uma homenagem aos vários estilos de dança.O trabalho foi feito com base na tese da pesquisadora Cássia Navas e procura apresentar ao público nomes e coreografias marcantes para a história, de maneira didática, sem no entanto, ser linear. A responsável pela concepção por contar os balés é Dany Bittencourt; na dança moderna e contemporânea Vladimir Condereche assume, enquanto as danças populares, ficaram com Fábio Pinheiro e Henrique Lima.Para embalar o espetáculo a trilha sonora ficou a cargo de Fábio Cardia que recompôs as músicas que faziam parte do repertório original. O figurino também sugere algo diferente, que foge aos padrões. Feito com plástico, mangueiras de gás, condutores elétricos assinada por Fábio Natame. Vem Dançar tem uma hora de duração.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.