"Monk" conquista público e ganha novidades

Ele tem horror a germes, não gosta de sair de casa, se recusa a trocar um simples aperto de mão com outras pessoas e não pode ver um quadro torto na parede sem ter uma crise de nervos. Mesmo com todos os tiques e manias, Adrian Monk, o detetive interpretado por Tony Shaloub, é capaz de decifrar mistérios aparentemente insolúveis, antes que o Departamento de Polícia de São Francisco o faça. A série Monk, exibida no Brasil pelo canal pago Universal, entra agora em sua terceira temporada e ganhou uma nova personagem. Em dezembro, a atriz Bitti Schram, que interpretava a assistente /enfermeira /babá de Monk, Sharona, deixou o seriado. Algumas publicações americanas afirmam que Bitti queria um salário maior. Já a emissora garante que a troca de personagens já era prevista. A substituta é a atriz Traylor Howard. No papel de Natalie Teeger, ela entra na história quando Monk é chamado para descobrir quem invadiu sua casa. Depois de resolver o mistério, ele decide contratar a moça - que é viúva e tem uma filha - para ser sua assistente. O humor, além da solução dos crimes, é o que faz de Monk um dos grandes sucessos da TV paga. Segundo o Ibope Telereport, durante o período em que foram exibidos episódios inéditos da série, nos meses de setembro e outubro de 2004, Monk foi a segunda série mais vista, entre todas as séries da TV por assinatura. Se a química entre Traylor e Monk vai funcionar nas telas, os telespectadores brasileiros vão saber a partir do dia 23 de fevereiro, quando estréia a nova temporada da série. Outras novidades incluem a adoção de uma criança e até uma nova namorada para o detetive mais neurótico do planeta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.