"Mona Lisa" é submetida a exame de raio X

A Mona Lisa, obra-prima de Leonardo da Vinci, será submetida a exames de microscópio e raio-X. O objetivo é determinar a causa da deterioração por que passa o suporte de madeira em que o famoso retrato foi pintado, a óleo, há quase 500 anos. Desde muito tempo, a obra tem seu estado de conservação considerado frágil. Mas o Museu do Louvre, que a tem em seu acervo, alertou na semana passada que a deformação do suporte é preocupante.Os exames serão realizados nos horários em que o Louvre está fechado, evitando tirar a jóia de cartaz. Conforme o curador-chefe do Louvre, Vincent Pomarede, o investigação poderá determinar se a Mona Lisa vai precisar de um novo restauro e se a deterioração pode ser devida a trabalhos anteriores do tipo. "Acreditamos que, em algum momento, teremos de intervir, se não na superfície da pintura, no suporte de madeira."Ao longo dos anos, por conta de sucessivos restauros, o suporte da Mona Lisa passou a comportar retalhos de madeira de diferentes idades. Uma das suspeitas é de que o envelhecimento diferenciado das tábuas seja a causa da deformação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.