MoMA reabre mais iluminado, após reforma

O Museu de Arte Moderna de Nova York vai reabrir suas portas para o público no próximo sábado, depois de dois anos e meio em que esteve fechado para passar por uma reforma de US$ 425 milhões que praticamente duplicou seu espaço. Ontem, o museu abriu suas portas para convidados.A remodelação incluiu a construção de um pátio de cerca de cerca de 35 metros, tetos mais altos, mais acesso de luz natural e um novo design que agregou centenas de metros quadrados para exposições e uma ampla escultura no jardim. "Podemos ver a coleção sob uma nova luz", destacou o diretor do MoMA, Glenn Lowry. "A arte não tem que ficar enclausurada em um salão. Agora quando alguém vê a coleção, adquire um brilho". A obra-prima do pintor impressionista Claude Monet, Nenúfares, de 1920, que está no MoMA há várias décadas, se estende por toda uma parede. As obras de arte foram classificadas por ordem cronológica. O artista pop norte-americano Andy Warhol divide um espaço com seu compatriota, o fotógrafo Chuck Close.O museu vai abrir para o público no sábado com todo um dia de entrada franca. O edifício de seis pisos, foi desenhado pelo arquiteto japonês Yoshio Taniguchi, e tem uma área de 58.528 metros quadrados e compreende todo um quarteirão, com entradas nas ruas 53 e 54, entre a 5.ª e a 6.ª avenida.O projeto de remodelação faz parte de um investimento de US$ 858 milhões que também transformou o depósito do museu no condado de Queens em seu local temporário durante as obras de restauração. O MoMA do Queens foi fechado em setembro.Depois da inauguração de sábado, a entrada geral custará US$ 20, com descontos para estudantes, idosos e jovens com menos de 16 anos. Também haverá entrada franca nas tardes de sexta-feira.

Agencia Estado,

16 de novembro de 2004 | 13h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.