Modelos declaram guerra às agências

Uma grande batalha judicial promete sacudir o mundo da moda. As modelos estão em pé de guerra contra as principais agências por conta de uma antiga queixa fashion: comissões abusivas. A Justiça federal americana determinou esta semana que um protesto aberto em junho de 2002 por seis profissionais pouco conhecidas pode ganhar status de ação coletiva, de classe, incluindo outras beldades que se sintam prejudicadas pelas regras das agências. Espera-se que milhares de modelos engrossem a causa das seis rebeldes.Na ação, são citadas as gigantes Ford e Elite, entre outros escritórios sediados em Nova York. As agências queriam que cada caso fosse julgado separadamente, em razão das diferenças estéticas e etárias - e salariais, claro. Mas a Justiça entendeu de outra maneira.No texto do processo, argumenta-se que as agências conspiram para fixar comissões e cobrar taxas abusivas, em desacordo com as leis antitruste. Afirma-se também que o entendimento entre as agências já vem desde os anos 70, quando seus donos começaram a cobrar comissões acima de 10%. Conforme uma amostra dos contratos, revelou-se que 95% das modelos são taxadas em 20% de seus cachês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.