Modelo virtual brasileira encanta os ingleses

Uma modelo brasileira tem feito os ingleses suspirarem. Seria Gisele Bündchen? Nada disso. Criada totalmente por computador, Kaya está entre os destaques da exposição Perfectly Real: Women in Bits and Bytes ("Perfeitamente Real: Mulheres em Bits e Bytes"), que teve início no dia 18 em Londres. A mostra reúne imagens de mulheres digitais desenvolvidas por seis artistas. Entre os autores está o brasileiro Alceu Baptistão, idealizador de Kaya.Ao contrário de suas "colegas", a modelo virtual brasileira apresenta traços que fogem do padrão estético vigente. Ela tem sardas, uma boca maior do que o normal, sobrancelhas grossas e olhos um pouco distantes. Segundo o artista, a idéia está em encontrar uma beleza mais próxima do real. "A busca pelo rosto matematicamente perfeito acaba por tirar a personalidade." Sócio da Vetor Zero - uma premiada empresa de animação e efeitos digitais -, Baptistão desenvolveu Kaya nas horas vagas, como um projeto pessoal. O trabalho levou cerca de um ano e meio. Ele teve a ajuda de Karla Ornellas, que fez a boina da modelo, e procurou ouvir os palpites dos colegas.A top model começou a ficar famosa quando Baptistão enviou suas imagens para um site. O trabalho interessou um brasileiro que estava editando, na Alemanha, um livro sobre mulheres virtuais. Kaya foi incluída na obra Digital Beauties ("Mulheres Digitais"), que serviu de base para a exposição de Londres. Mas todo o destaque que as modelos computadorizadas vêm ganhando não significa que logo poderão roubar o espaço de mulheres reais. "Ainda é muito mais fácil usar a figura humana", diz Baptistão. Ele observa que falta muito para se conseguir o nível de detalhe de um rosto real. Fotos das modelos da exposição podem ser vistas no site (www.watermans.org.uk/real).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.