Modelo robô japonesa ainda não ameaça rivais vivas

HRP-4C tem motores movidos a baterias no corpo e rosto para imitar expressões, poses e passadas das tops

CHIKA OSAKA, REUTERS

23 de março de 2009 | 12h22

Pode ter sido uma novidade absoluta no mundo da moda, mas a supermodelo Naomi Campbell não precisa temer a concorrência.

A robô humanóide HRP-4C exibiu seu corpinho prateado e preto, que lembra o de uma policial de choque, e fez uma reverência ao público de fashionistas no início da Semana de Moda Japão, em Tóquio. Mas mesmo seus criadores admitem que a modelo mecânica ainda precisa ser aperfeiçoada.

 

Modelo robô é apresentada na Japan Fashion Week em Tóquio. Foto: Reuters

A HRP-4C tem motores movidos a baterias em seu corpo e rosto, permitindo que imite as expressões, poses e passadas de uma supermodelo - até certo ponto.

"Nossa robô não consegue mover-se com elegância, como as modelos reais que estão presentes aqui hoje", disse Shuji Kajita, diretor de engenharia de robôs humanóides no Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Industrial Avançada (AIST), à Reuters. "Serão precisos outros 20 a 30 anos de pesquisas para fazer isso acontecer."

A modelo high-tech de 1,58 metro de altura e 43 quilos perdeu algum peso em relação a suas versões anteriores, em tempo para sua estreia na passarela de um dos maiores eventos de moda do Japão.

Designers da AIST dizem que os olhos, rosto e cabelos da robô, que custaram cerca de 2 milhões de dólares para ser desenvolvidos, são baseados em personagens dos quadrinhos "anime" japoneses.

Tudo o que sabemos sobre:
MODAROBÔJAPÃO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.