Moda entra na mira dos censores chineses

A moda entrou na mira do governo chinês. Roupas extravagantes, ousadas, e tinturas berrantes nos cabelos são a mais nova preocupação dos censores. Em recado dirigido à mídia, o governo avisa que os veículos de comunicação, bem como as personalidades que os freqüentam, devem evitar a "ideologia ocidental". Isso inclui também o uso de estrangeirismos e todo tipo de programa que não seja adequado às "condições nacionais e sistema social" da China.O anúncio reforça o cerco à mídia promovido pelo país. Importante motor da economia mundial, a China mantém sob forte controle seus veículos de comunicação. Recentemente, porém, emissoras de TV vinham ganhando mais e mais liberdade para para montar uma grade economicamente auto-sustentável. Uma das táticas foi adquirir centenas de horas de atrações estrangeiras, o que acabou por irritar os censores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.