Moacyr Luz

As músicas que marcaram a vida do sambista carioca

, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2010 | 00h00

1. ÚLTIMA FORMA - MPB 4. "O samba é de Baden Powell e Paulo Cesar Pinheiro, mas a interpretação do quarteto me ajudou muito a entender a voz na música brasileira."

2. CONSTRUÇÃO - Chico Buarque. "A sonoridade das palavras, os acordes diferentes, uma tensão natural na harmonia. Tudo isso fez parte do grande aprendizado que essa música foi para mim."

3. DISRITMIA - Martinho da Vila. "Acho que o primeiro disco de samba que ouvi com consciência foi Canta, Canta Minha Gente, de Martinho da Vila. Era 1974 e Disritmia parecia uma oração."

4. ALBATROZ - João Nogueira. "Esse samba-canção do mestre João me marcou. Na época, em 1975, estava convivendo muito com Hélio Delmiro."

5. PRETA PRETINHA - Novos Baianos. "A lembrança dessa música está muito ligada às minhas primeiras aulas de violão."

6. JURACI - Roberto Silva. "Um dos sambas preferidos do meu pai. Em dia de botar a vitrola no quintal, o sincopado imperava."

7. PRETA ALOIRADA - Casquinha da Portela. "Não sei como esse partido-alto chegou aos meus ouvidos, mas garanto que nunca mais esqueci um verso dele. Anos depois produzi um disco desse mestre da velha guarda."

8. PECADORA - Jair do Cavaquinho. "Eu escolhi essa música, mas poderia ser qualquer outra faixa do disco A Voz do Morro, que é uma grande fonte de inspiração."

9. 14 ANOS - Paulinho da Viola. "Serve de conselho para todo compositor que pretende contar ao pai que deseja ser músico. Se for sambista, entenderá ainda mais a dificuldade."

10. CORDAS DE AÇO - Cartola. "Uma gravação dessa música feita pelo próprio Cartola funcionou como uma tomada que me ligou ao trabalho desse grande gênio mangueirense."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.