Miúcha, como Amy, esquece. Mas emociona

Aplaudida de pé ao final do concerto com a Sinfônica Municipal, a cantora Miúcha driblou uns dois ou três "micos", como ela mesma definiu, à moda Amy Winehouse, que poderiam ter embaçado o brilho do seu show: ela errou a letra de Eu te Amo (cantou "meu paletó amassa o teu vestido"), e esqueceu versos de Anos Dourados e Todo o Sentimento, todas do irmão Chico. Também contou histórias sobre música de Cristóvão Bastos fora do tempo - não estava na ordem de apresentação, a próxima seria Basta um Dia, de Chico Buarque. Ajudaram um pouco, além da excelência da interpretação da cantora em outros números, como Amei Tanto (Baden Powell e Vinicius de Morais), as engraçadas justificativas do maestro Ghelfi para seus esquecimentos ("Seu irmão tem letras enormes. Se nem ele decora, por que você tem que decorar?"). Ao piano, o maestro teve de "acordar" Miúcha para que ela reconhecesse os acordes e entendesse que iam repetir Águas de Março. No fim, a ministra da Cultura emocionou-se e chorou na plateia.

Jotabê Medeiros, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.