Misticismo ronda edifício do CCBB em São Paulo

O Banco do Brasil programou para o próximo dia 21 de abril a inauguração do seu centro cultural em São Paulo, que está sendo montado no prédio histórico da instituição, à rua Álvares Penteado, na zona central da capital. Segundo a arquiteta Silvana Nigro, responsável pelo acompanhamento das obras de restauração da Concrejato - empresa que executou as obras de restauração e modernização do edifício - elementos curiosos e até místicos se escondem na arquitetura e decoração do prédio, construído em 1901.Alguns materiais se repetem pelo edifício, como é o caso da folhagem de café em ferro forjado. "A escolha deste elemento não foi aleatória, visto que o café na época da inauguração do edifício se constituía na base da economia", declara a arquiteta. Outros elementos decorativos se repetem, como latão e gesso, dispostos segundo uma lógica espacial que tem como base o número oito. Na numerologia, lembra a arquiteta, o oito é o número que dá a vibração do poder material, e na ciência, representa qualidades como eficiência, funcionalidade e ambição.Segundo a arquiteta, até mesmo a escolha do tema dos afrescos do hall de entrada não lhe parece casual. "Nestes estão representados os deuses da mitologia grega, Mercúrio e Vulcano, este último o deus do fogo e da metalurgia, sugerindo o poder do trabalho e da realização material".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.