Missão para Cruise e Clint na forca

Motoqueiros Selvagens

LUIZ CARLOS MERTEN, , O Estado de S.Paulo

28 Fevereiro 2013 | 02h11

16H05 NA GLOBO

(Wild Hogs). EUA, 2007. Direção de Walt Becker, com Tim Allen, John Travolta, Martin Lawrence, William H. Macy, Ray Liotta, Marisa Tomei, Billy Lockwood, Drew Sidora.

Quatro velhos amigos, cansados da monotonia de suas vidas, vestem o uniforme de motoqueiros radicais e caem na estrada, aprontando todas. Nada mais patético do que a busca do tempo perdido feita de forma tão equivocada. Poderia sair alguma coisa daí, mas o diretor encosta o filme na persona dos atores e toda a engenhosidade (nula) do roteiro fica por conta da forma como eles enfrentam uma gangue rival. Reprise, colorido, 99 min.

Janela Indiscreta

22 H NA CULTURA

(Rear Window). EUA, 1954. Direção de Alfred Hitchcock, com James Stewart, Grace Kelly, Raymond Burr, Thelma Ritter, Judith Evelyn, Sara Berne, Ross Bagdasarian.

O Clube do Filme resgata um dos clássicos de Alfred Hitchcock, e para alguns críticos sua obra-prima, superior a Um Corpo Que Cai (Vertigo), de 1958, que acaba de ser escolhido o melhor filme de todos os tempos. James Stewart faz fotógrafo que sofre acidente e fica imobilizado em casa. Entediado, ele bisbilhota a vida dos vizinhos com sua câmera e descobre... um assassinato. A janela e o mundo que Stewart vê através dela viram metáfora do próprio cinema e a maneira como o herói envolve a namorada na perseguição ao criminoso tem a ver com a forma como o diretor comanda seus atores. Um grande Hitchcock, que influenciou o Michelangelo Antonioni de Blow-Up - Depois Daquele Beijo, em 1967. Os cinéfilos radicais vão reclamar, talvez, de que o filme passe dublado, mas esta é a nova realidade do audiovisual. Seguindo o exemplo de vários países do mundo, o Brasil também partiu para a dublagem em salas de cinema e canais seletivos. E não é resultado da ascensão das classes C e D. A A adotou alegremente o procedimento. Reprise, colorido, 113 min.

A Metralhadora Gatling

23 H NA REDE BRASIL

(The Gatling Gun). EUA, 1973. Direção de Robert Gordon, com Guy Stockwell, Robert Fuller, Barbara Luna.

A história de como um médico, o dr. Gatling, criou a metralhadora, que mudou o curso da Guerra Civil norte-americana e intensificou a carnificina. Dois filmes em cartaz - ambos de qualidade superior - não apenas retratam a época, como os estragos provocados pela Gatling - Lincoln, de Steven Spielberg, e Django Livre, de Quentin Tarantino. Reprise, colorido, 85 min.

TV Paga

Missão Impossível 3

12H55 NO TNT

(Mission: Impossible III). EUA, 2006. Direção de JJ Abrams, com Tom Cruise, Philip Seymour Hoffman, Ving Rhames, Michelle Monagham, Billy Cudrup, Simon Pegg, Laurence Fishburne, Jonathan Rhys Meyers.

Toda a série MI é muito boa, mas é curioso como todos os diretores que nela se exercitaram levaram adiante conceitos estéticos e ferramentas narrativas. Por exemplo, o jogo de máscaras que John Woo estabeleceu no 2. Aqui, Tom Cruise (Ethan Hunt) e seus amigos enfrentam o perigoso Philip Seymour Hoffman, que tem conexões dentro da própria agência do governo em que trabalha o herói. Toda a ação final na China é eletrizante, culminando no confronto entre Cruise e Hoffman, mas a cena do resgate do vilão, na ponte, é, literalmente, explosiva. Reprise, colorido, 128 min.

A Marca da Forca

15H50 NO TCM

(Hang' Em High) EUA, 1968. Direção de Ted Post, com Clint Eastwood, Inger Stevens, Pat Hingle, Ben Johnson, Ed Begley, Bruce Dern, Dennis Hopper.

Consagrado no spaghetti western como o estranho sem nome dos filmes de Sergio Leone, Clint levou para Hollywood sua persona taciturna e violenta e consolidou a carreira grandiosa que todo mundo sabe. Traído e levado à forca, o herói escapa e, com a marca da corda no pescoço, parte em busca da vingança. O diretor Post fez bons filmes de ação, e alguns, como Go Tell the Spartans!, de 1978, sobre a Guerra do Vietnã, dão um testemunho interessante da história dos EUA na época. Reprise, colorido, 104 min.

Bahia de Todos os Sambas

16H25 NO CANAL BRASIL

Brasil, 1996. Direção de Leon Hirszman e Paulo Cesar Saraceni.

Entre 21 e 31 de agosto de 1983, grandes nomes da música baiana se apresentaram nas termas de Caracalla, em Roma. Armandinho, Batatinha, Paulinho Boca de Cantor, etc., tocaram, cantaram e encantaram os italianos, num momento em que no País se intensificava o clamor pela redemocratização. Dois cineastas importantes do Cinema Novo, Leon Hirszman e Paulo Cesar Saraceni, fizeram o registro audiovisual, um terceiro - Gustavo Dahl - assina a montagem. Um filme que vale conhecer. Reprise, colorido, 102 min.

A Vida Secreta das Abelhas

19H55 NO TELECINE TOUCH

(The Secret Life of Bees). EUA, 2008. Direção de Gina Prince-Bythewood, com Dakota Fanning, Queen Latifah, Jennifer Hudson, Alicia Keys, Ema Sage Bowman.

Garota branca encontra refúgio na casa de negras que produzem mel. Conhecendo a intimidade dessas mulheres, suas alegrias e tristezas, ela passa a ter uma outra percepção do mundo (e do racismo). Um filme bonito, sincero, que de alguma forma prosseguiu com o velho Tomates Verdes Fritos, de Jon Avnet (na sua abordagem do universo feminino) e antecipou o mais recente Histórias Cruzadas, de Tate Taylor (sobre relações inter-raciais e a violência contra as afro-americanas). Reprise, colorido, 100 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.