Minissérie é inspirada em Yolanda Penteado

A minissérie Um Só Coração, de Maria Adelaide Amaral, vai contar a história de São Paulo por meio de Yolanda Penteado, personalidade marcante, mulher inovadora, responsável, junto com seu marido, Francisco Matarazzo, pela criação do Museu de Arte Moderna (MAM) e pela Bienal de Arte de São Paulo.O papel de Yolanda será de Ana Paula Arósio. Já o papel de Guiomarita , irmã de Yolanda, será da estreante Gabriela Hess, de 28 anos, descendente direta de Yolanda Penteado. Guiomarita era sua bisavó na vida real.?É muito bom poder resgatar a história da família, ainda mais em um trabalho com tanto conteúdo?, diz Gabriela. Yolanda morreu em 1983, aos 80 anos de idade, quando Gabriela tinha 8. Entre as homenagens que recebeu está uma edição especial da revista Vogue. O exemplar, assim como o livro Tudo em Cor-de-Rosa, que escreveu em 1976 e serviu de inspiração para a minissérie, está guardado em um baú entre outras relíquias da pessoa mais famosa da família Penteado.O convite para viver sua tia-bisavó em Um Só Coração surgiu por acaso. Em fevereiro deste ano, Maria Adelaide Amaral marcou uma reunião com a família Penteado para ver fotos e saber um pouco mais da vida de Yolanda. Gabriela participou e, na ocasião, disse a Maria Adelaide que gostaria de trabalhar como pesquisadora no projeto. No ato, ganhou um caderninho e começou a checar com os familiares as datas e os detalhes da vida de Yolanda. ?Sabia que ela, assim como minha bisavó, havia se desquitado, o que na década de 30 não era bem-visto. Sabia que havia sido uma empreendedora, mas não sabia as datas exatas.?Quando mostrou a Maria Adelaide uma pasta com recortes e fotos de seu trabalho, Gabriela saiu dos bastidores para encarar um papel à frente das câmeras.Vocação precoce - Quando ainda estava no colégio, aos 10 anos, com uma amiga, Gabriela criou um grupo de teatro. Mais tarde, quando se formou no Célia Helena ? conceituada escola de teatro ? e entrou para o grupo Folias dArte, onde está até hoje, dá aulas de arte-educação a crianças e participa de um projeto de contadores de história que visitam bibliotecas municipais.A série Um Só Coração não é documental. Vai misturar fatos reais com ficção, com início em 1922, na Semana de Arte Moderna, época em que Yolanda se apaixona por Martin (Erik Marmo), simpatizante do anarquismo. Com o veto da família e a conselho da mãe, acaba se casando com o primo Fernão (Herson Capri), de quem se separa. É quando já está envolvida nos negócios da família que a personagem se casa novamente, aí, sim, com Francisco Matarazzo (Édson Celulari), com quem divide o amor pelas artes. Na vida real de Yolanda, nada consta sobre o affair com o jovem estudante, tampouco o casamento com um primo. Filha da baronesa de Ataliba Nogueira, Yolanda teve, na verdade, um casamento antes de Matarazzo, mas com Jaime da Silva Teles.A mulher que chegou a dançar com Charles Chaplin e era amiga íntima de Santos Dumont nunca teve filhos e tratava com extremo afeto Antonieta e Silvinha, filhas de sua irmã Guiomarita. ?Antonieta é como se fosse minha filha?, escreveu em Tudo em cor-de-rosa. Antonieta, hoje com 80 anos, vai assistir na tela a seu próprio nascimento na interpretação de Gabriela, sua sobrinha-neta. ?É um presente para nós duas?, diz a atriz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.